O Ciclo do Ouro no Brasil

No final do século XVII, as exportações de açúcar brasileiro, que era produzidos nos engenhos do nordeste, em particular na Bahia e Pernambuco,  começaram a diminuir. Isto ocorreu, pois a Holanda havia começado a produzir este mesmo produto nas ilhas da América Central. O açúcar dos holandeses possuía preços muito mais baixos e com qualidade superior ao do brasileiro, foi então que o mercado consumidor europeu passou a dar preferência para o açúcar holandês. Na prática, ocorreu, portanto, a primeira crise econômica da colônia, que por sua vez, ainda reservava muita riqueza a ser descoberta.

 

Muitos outros europeus que aqui aportavam vinham em busca de ouro. Eles conheciam muito bem todos os processos de exploração do minério, bem como tinham grande espírito aventureiro – não se importavam em viver sem qualquer tipo de luxo ou se embrenhar em matas com elementos desconhecidos. Ainda no século XVI, a primeira expedição liderada por Fernão Dias veio ao Brasil, na tentativa de encontrar jazidas de prata e de esmeralda. Fernão aportou em terras que mais tarde seriam destinadas aos paulistas e, seguiu viagem para a região onde hoje é a cidade de Sabará, em Minas Gerais. Entretanto, a atividade da mineração somente viria a crescer o século XVIII.

 

Como a economia de Portugal ainda estava muito abalada com o declínio das vendas do açúcar, a notícia de que aqui havia minas de prata e pedras preciosas, fez com que o governo iniciasse a procura por ouro no sertão. Elas pessoas que vinham de todas as regiões de Portugal, em busca de jazidas de minérios, e que se instalavam especialmente no sul e sudeste do Brasil. Mas vinha gente do próprio país em busca da promessa da existência de tais riquezas. Foi então que os paulistas e os forasteiros (todos os que vinham de fora) iniciaram, uma disputa pelo ouro, que culminou na guerra dos Emboabas, entre os anos de 1708 – 1709.

 

O governo então decidiu controlar de maneira rígida a exploração do ouro, e retinha a quinta parte de tudo o que era encontrado – daí o imposto cobrado pelos portugueses ter ficado conhecido como o “quinto do ouro”. Foi assim que a mineração tomou o lugar do açúcar, iniciando o chamado “ciclo do ouro” no Brasil.

 

Para Portugal, o processo de mineração foi uma maneira encontrada para pagar as dívidas que tinha contraído com a Inglaterra, contudo por conta de contrabando, acabou perdendo grande parte do que esperava reter. A região das Minas também ficou repleta de índios, escravos, bandeirantes, colonos, e de outras pessoas que tinham o desejo de enriquecer. Muitos escravos escondiam o ouro no próprio corpo e com parte do que encontravam acabaram comprando suas liberdades. Outros tantos, que foram largamente escravizados durante o período, fugiram para os chamados quilombos.

 

O ciclo do ouro entrou em decadência no final do século XVIII, quando as minas começaram a se esgotar.

22. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: Brasil, História | Tags: , , , , |