Geografia Espacial: A História da Astronomia

Diversas foram as civilizações que investigaram os céus. No ano 4.000 a.C., os egípcios desenvolveram um calendário baseado no movimento dos objetos celestes. A observação dos céus levou à previsão de eventos como os eclipses. Desde o século 17, o ritmo das descobertas e do entendimento se tornou mais rápido: aprende-se mais sobre o espaço, somente no século XX, do que em qualquer outra época. Atualmente, um astrônomo não é mais uma pessoa que trabalha em vários campos da ciência, mas um especialista que se concentra em aspectos específicos da pesquisa astronômica.

 

Na antiguidade, as civilizações confiavam à astronomia – campo da ciência que estuda a geografia espacial – todas as informações que eram necessárias à vida rotineira. As posições do Sul e da Lua serviam para medir o tempo – em dias, meses, estações e anos. A navegação dependia do Sol, da Lua e das estrelas. E como não eram bem entendidos alguns processos, unicamente por falta de conhecimento teórico, alguns eventos eram considerados como sendo um “mau agouro dos céus ou castigo dos Deuses”.

 

A astronomia mudou muito desde então. Ao invés de catalogar e tentar entender o movimento das estrelas, os astrônomos começaram a tentar descobrir o que as estrelas eram de fato, dando início aos estudos da astrofísica. Foi em 1860, que um astrônomo inglês, William Huggins, analisou a luz das estrelas. Outros levaram seu trabalho adiante e logo foi possível classificar as estrelas por seu espectro.

 

Os primeiros astrônomos da história dependiam apenas da apuração de seus olhares às estrelas, aos corpos celestes. Foi somente a partir do século XVI, já com a chegada do telescópio, que foi possível fazer uma observação mais criteriosa e verdadeira das informações que chagavam do infinito.

 

Já na astronomia moderna, os astrônomos podem contar com equipamentos muito mais avançados que estão à disposição para uso em grandes e importantes observatórios, sendo alguns nacionais. Com o surgimento da era tecnológica, o computador foi outro grande instrumento que promoveu um grande salto nos estudos astronômicos, como o descobrimento e fundamentação de certas teorias de como o universo teria se formado. É o caso do Big Bang, que somente foi possível internalizar, ou teorizar graças às observações pautas de diagnósticos feitos com a ajuda de computadores muito potentes.

 

Estudar e entender a astronomia, ramo da geografia espacial, é poder compreender melhor o universo, porém é um longo e complicado caminho.

15. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: Geografia, História | Tags: , , |