Agentes Internos e Externos na Formação dos Relevos

O relevo é uma irregularidade da superfície terrestre, formado a partir dos agentes modeladores que podem atuar no interior da Terra – ou os chamados agentes endógenos – ou acima da superfície terrestre – os agentes externos.  Tendo como base tal informação, são os ventos e as geleiras agentes modeladores externos que contribuem para a formação do relevo. Vale lembrar que, embora seja aparentemente estático, o relevo é dinâmico e está em constante transformação.

 

Os agentes internos ou endógenos – são chamados de modeladores e estão divididos em três grupos: os tectonismos, os abalos sísmicos, e o vulcanismo.

 

O grupo que pertence ao tectonismo pode ser caracterizado pelas montanhas, as cordilheiras, os vulcões e todas as paisagens que, posteriormente, são novamente modificadas pelos agentes externos de transformação do relevo.

 

Já os abalos sísmicos estão diretamente ligados às placas tectônicas. São provocados por movimento agressivo das massas da crosta interior da Terra ou do manto terrestre, resultante de abruptas acomodações das camadas rochosas. Podem ser resultantes do choque entre duas placas que se encontram em movimentos convergentes; podem surgir a partir do afastamento entre elas em movimentos divergentes; ou quando placas vizinhas movimentam-se lateralmente, raspando uma na outra em movimentos transformantes.

 

Os vulcanismos consistem em atividades de erupção, do magma do interior da Terra, indo em direção à superfície. Trata-se de um material quente, pastoso, que  costuma encontrar brechas para a sua ascensão nas zonas de encontro entre duas placas tectônicas, onde existem falhas e fraturas que permitem a sua passagem.

 

De todos os agentes, o vulcanismo é o que tem o poder de transformação mais rápida em uma paisagem.

 

Os agentes externos são chamados também de esculpidores, uma vez que eles são os responsáveis pelo desgaste e sedimentação do solo. Eles se ocasionam por conta da ação de certos elementos, tais como ventos, água e seres humanos.

 

O agente externo mais atuante é água, seja ela de origem pluvial, fluvial, ou nival. A ação da água ainda pode ser dividida em fluvial, marinha e glacial. Água modela o relevo e ainda contribui para a formação de processos erosivos.

 

A erosão pluvial acontece por meio das chuvas, que lava a camada superficial do solo. Ocasiona as enxurradas, e contribui para erosões profundas que podem atingir o lençol freático.

 

Já a erosão fluvial acontece por conta da ação dos cursos d’água sobre a superfície, modelando a paisagem e transportando sedimentos. É independente, já que os próprios rios moldam os seus cursos. Também é causada pela retirada de mata ciliar.

 

A erosão marinha é provocada pela invasão de água marítima na superfície litorânea, provocando uma série de desgastes em formações rochosas. Já a glacial é a provocada por meio do derretimento das geleiras localizadas em montanhas. Os ventos também atuam nesse processo, contribuindo com a erosão eólica, na maneira de esculpir a natureza e seu relevo.

13. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: Geografia, Relevo | Tags: , , , , |