A Proclamação da República

Já no final dos anos de 1880, a situação da monarquia brasileira era tensa e desconfortável, uma vez que ela ainda representava um modelo de governo que não se adequava mais às necessidades de mudanças sociais em processo e que também eram exigidas em um âmbito mundial. Já se fazia muito importante a implementação de um novo modelo de governo, que fosse capaz de fazer o país seguir em progresso e avançar nas questões políticas, econômicas e sociais.

 

As crises do sistema monárquico podem ser explicadas por vários motivos entre eles  a interferência de D. Pedro II nos assuntos religiosos, o que provocava um grande descontentamento na Igreja Católica, bem como as duras críticas feitas por diversos integrantes do Exército Brasileiro, que não aprovavam a corrupção existente na corte. Além disso, os militares estavam descontentes com a proibição imposta pela Monarquia, pela qual os oficiais do Exército não podiam se manifestar na imprensa sem uma prévia autorização do Ministro da Guerra.

 

E não era apenas isto. A classe média brasileira que era formada, entre outros, por jornalistas, liberais, estudantes, artistas e comerciantes, que desejava mais liberdade e maior participação nos assuntos políticos do país. Identificada com os ideais republicanos, esta classe social passou a apoiar o fim do império em detrimento da instalação de um novo modelo de governo.

 

Havia ainda uma grande falta de apoio por parte de grandes dos proprietários rurais, em particular dos cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter maior poder político, já que tinham grande poder econômico.

 

Diante de diversas críticas e de apoio popular, advindas de diferentes setores da economia e da sociedade, tanto Imperador D. Pedro II quanto a sua equipe de governo, viram-se fragilizados e totalmente enfraquecidos. D. Pedro II, para agravar ainda mais a situação delicada e repleta de instabilidade, estava com graves problemas de saúde, e participava cada vez menos das articulações e decisões políticas e seu governo. E largos passos, o movimento pró – república crescia de forma viral em todo o território.

 

Foi então, que em 15 de novembro de 1889, que Marechal Deodoro da Fonseca, apoiado pelos republicanos, demitiu todo o conselho de Ministros, bem como o presidente. À noite, no mesmo dia, o Marechal ainda assinou um manifesto de teor republicano, instalando um governo provisório no país. Foi assim que se proclamou a República no Brasil, depois de 67 anos de monarquia. D. Pedro II e a família imperial partiram em direção à Europa, e Marechal Deodoro da Fonseca assumiu o governo provisório, o que foi um grande avanço, já que daí em diante instalou-se os primeiros passos rumo à democracia brasileira.

16. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: Brasil, História | Tags: , , , |