A Invenção da Escrita

De acordo com alguns historiadores, a escrita é o que distingue a sociedade pré-histórica das sociedades históricas. Acredita-se que a escrita tenha sido inventada na região da Antiga Mesopotâmia, por volta de 3.000 a. C., embora outras formas de escrita tenham sido criadas de modo independente em diferentes regiões do mundo.

 

Há diversos mitos em relação à criação da escrita. Os povos antigos deram tanta importância à escrita que chegaram a atribuir sua invenção a um ser divino ou mítico, o que era muito comum à época. Para os egípcios, por exemplo, ela teria sido criada pelo deus Thot, enquanto para os chineses o responsável por sua criação teria sido um funcionário do lendário Imperador Amarelo.

 

De uma maneira ou de outra, no tempo em que o homem vivia em pequenas aldeias, ele conseguia guardar na memória o nome de pessoas que faziam parte de seu grupo, a quem pertenciam cada rebanho, bem como a quantidade de grãos colhidos por cada família. No entanto, quando os grandes impérios se formaram, tornou-se muito necessário que houvesse um sistema que não dependesse propriamente da memória. Além disso, um novo sistema que preservasse o maior número de informações que interessavam não somente ao rei, mas também aos súditos. Impostos valores e transações comerciais passaram a ser registrados. Por isso é que a escrita surgiu, para atender às novas necessidades desse novo homem.

 

Tão logo um sistema de escrita tenha surgido, outros assuntos também começaram a ser registrados, por escrito. Apareceram, assim, os primeiros livros sagrados, os códigos com as leis, os livros das várias áreas do conhecimento e as obras literárias. A descoberta da escrita foi tão importante que os historiadores situam o nascimento da História, tal como se conhece hoje, a partir desse evento.

 

A escrita cuneiforme foi muito usada pelos sumérios, um dos povos da Mesopotâmia. Ela consistia em linhas curvas e retas entalhadas em uma placa de argila. Alguns signos representavam palavras e outros eram prefixos, totalizando cerca de 2 mil signos.

 

Já o ideograma dos chineses formava palavras a partir de combinações de 10 mil signos.

 

A hieroglífica egípcia eram sinais pictóricos que reproduziam objetos, alguns deles representando palavras e outros, sons concretos. Os egípcios utilizavam cerca de 700 signos diferentes.

 

O alfabeto, tal como conhecemos, teria se originado no ano de 1.200 a.C., entre os fenícios, povo que habitava o Oriente Médio. Eles criaram um alfabeto formado por 22 consoantes. Mais tare, os gregos o aperfeiçoaram ao incorporar as vogais.

16. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: História | Tags: , , |