A Guerra dos Emboabas

A guerra dos Emboabas foi um conflito que aconteceu na região mineradora de Minas Gerais, durante os anos de 1707 e 1709, envolvendo diversos personagens importantes, bem como interesses de ordem política e econômica. O conflito foi motivado pela disputa pela exploração das minas de ouro recém – descobertas na região das minas, a região era disputada pelos paulistas, que desejam ter exclusividade na exploração do ouro, que consideravam justo ter o domínio sobre as terras, uma vez que afirmavam tê-las descoberto. Entretanto, os portugueses, bem como os demais exploradores, portugueses e outros forasteiros advindos de diversas regiões que circundava as minas, também acreditavam ter os direitos sobre a exploração.

 

A corrida pelo ouro motivou cerca de 50 mil pessoas de todas as origens – os portugueses, os forasteiros, e os paulistas – que estavam em busca de riquezas presentes naquelas terras. Eles se aglomeravam nas margens dos rios e se embrenhavam em setores sertanejos distantes e inóspitos – e os paulistas, por terem descoberto as jazidas, acreditavam ter os direitos totais sobre elas. Mas, a divisão pelos direitos, de acordo com os interesses da Coroa, não aconteceu da forma que os paulistas queriam.

 

E foi por conta da disputa, que o conflito teve o seu início. A palavra “emboaba” foi a designação dada aos forasteiros, uma vez que eles eram pessoas agressivas e que tinham por hábito invadir as terras alheias. Emboaba, na linguagem indígena era “aquele que tinha pata peluda”; os emboabas sempre usavam calças e sapatos, ao contrário dos bandeirantes. Os paulistas ainda eram conhecidos como vicentinos, por advirem da capitania de São Vicente. Como eles estavam mais distantes da Coroa, em relação aos que vinham das capitanias da Bahia e de Pernambuco, a tensão entre os paulistas se deu justamente por que não aceitavam a invasão de outras pessoas no local que consideravam deles.

 

Então, os forasteiros ou “emboabas” foram liderados por Manuel Nunes Viana; já os paulistas, foram liderados pelo bandeirante Borba Gato.

 

Para obter o controle das regiões de minas, os emboabas promoveram um conflito sangrento, ocorrido em novembro de 1709, no distrito onde hoje é a atual Ouro Preto. Os emboabas dominaram a região das minas e os paulistas se refugiaram na área do Rio das Mortes.

 

Os paulistas, que acreditavam ser os donos legais, acabaram sendo derrotados, para conveniência da Coroa, que então decidiu criar as capitanias de São Paulo, Minas do Ouro. Foi a parir de então, que a Coroa também passou a fazer a cobrança do quinto do ouro – uma taxação sobre o ouro encontrado e vendido, uma solução para o pagamento de dívidas que Portugal havia contraído com a Inglaterra.  Portugal também decidiu assumir o controle da exploração do ouro, marcando definitivamente o fim do conflito. Os bandeirantes paulistas saíram em busca de novas explorações pelo sertão da Colônia.

15. abril 2015 por Geografia Legal
Categoria: Brasil, História | Tags: , , , |